Ciúmes

Descrição do post.

Aline Oliveira

12/7/2021 1 min read

O ciúme é na verdade uma reação psicológica de defesa que acontece quando estamos diante da possibilidade de perda de algo ou alguém que consideramos importante. Está diretamente ligado ao sentimento de posse e insegurança. É meu, e eu simplesmente não estou disposto a dividir com ninguém. Rsrsrs! E isso, pode acontecer desde a caneta de estimação ao cônjuge. Essa relação de posse e esse apego ansioso que faz com que a pessoa tenha ciúmes muitas vezes está relacionado às experiências que ela teve com as suas primeiras figuras de amor e cuidado, geralmente pai e mãe.
Quando essa relação, principalmente com a mãe, não é bem estabelecida a criança pode desenvolver o transtorno de ansiedade de separação que envolve ansiedade persistente e intensa sobre estar longe de casa ou separada de pessoas com as quais a criança tem apego. A criança com transtorno de ansiedade de separação com frequência chora e implora para que a pessoa não a deixe e, depois que a pessoa vai embora, a única coisa que a criança pensa é sobre reencontrá-la. Elas ficam em alerta o tempo todo vigiando para que a pessoa não saia e quando sai têm uma preocupação persistente em saber aonde está, que horas vai voltar.
Qualquer semelhança com a pessoa ciumenta não é mera coincidência! O ciúme é uma variação da ansiedade. E, assim como a ansiedade, ele faz com que nos antecipemos a possíveis situações de perdas e danos, sejam elas reais ou imaginárias. É uma estratégia de prevenção, para não experimentar o sentimento de perda, traição ou rejeição. Só que na dose errada, acaba causando sofrimento e trazendo o risco de que nossa mente nos leve a reagir de forma desnecessária e até irracional.

Ciúmes não precisa ser controlado, ele necessita ser tratado. Uma vez que a relação de apego e os traumas são tratados a pessoa passa a experimentar um relacionamento saudável.